04 abril 2020

Ex-BBB Felipe Prior é acusado de estuprar duas mulheres e de tentar estuprar outra; ele nega

Ministério Público pediu instauração de inquérito policial. Os casos teriam ocorrido nos anos de 2014, 2016 e 2018 e se tornaram públicos nesta sexta. Em nota, Felipe Prior repudiou 'veementemente, as levianas informações espalhadas sobre supostos fatos que teriam ocorrido há anos'.

O Ministério Público de São Paulo solicitou nesta sexta-feira (3) a instauração de inquérito policial para apurar denúncias de três mulheres contra o arquiteto Felipe Prior, ex-participante da 20ª edição do BBB, por dois estupros e uma tentativa de estupro. O caso está sob sigilo. Prior nega as acusações (veja abaixo).
No dia 17 de março, a advogada das três, Maíra Pinheiro, protocolou uma notícia crime sobre os três casos no Departamento de Inquéritos do Fórum Central Criminal.
Os casos teriam ocorrido nos anos de 2014, 2016 e 2018 e vieram a público em reportagem publicada pelo site da revista Marie Claire nesta sexta. As três mulheres que acusam Prior não fizeram boletim de ocorrência porque dizem que se sentiram envergonhadas.
Segundo a advogada, uma universitária viu a chamada da participação de Felipe Prior no Big Brother Brasil 20 e fez um post no Twitter em que afirmava que o conhecia e que ele havia sido impedido de entrar no InterFau 2019 (jogos esportivos entre faculdades de arquitetura de São Paulo) após uma denúncia de assédio. A partir desta publicação, duas das mulheres que o acusam, sem que se conhecessem, procuraram a universitária, que as colocou em contato. Elas procuraram as advogadas Juliana Valente e Maíra Pinheiro. Ao apurarem a denúncia do InterFau, chegaram até a terceira mulher.
O tweet foi apagado, de acordo com Maíra Pinheiro, porque a universitária foi procurada por três pessoas que afirmaram que eram advogados de Prior e que a processariam por calúnia caso ela falasse sobre o ocorrido nos jogos universitários. Segundo eles, a informação era falsa.
Ao G1, a advogada afirmou que quer garantir “a proibição de contato [de Prior] com as vítimas e todas as testemunhas por qualquer meio de comunicação, inclusive terceiras pessoas”.
Em notícia crime protocolada em 17 de março, a defesa das três mulheres descreve os supostos crimes. De acordo com o documento, na madrugada de 9 de agosto de 2014, a vítima protegida sob o nome de Themis descreve que Prior se aproveitou de sua embriaguez para praticar atos libidinosos e conjunção carnal, provocando lesões corporais graves.
Ela narra que Felipe tirou a roupa dela e abriu a própria calça, deixando seu genital para fora. Como estava embriagada, ela disse que não conseguia oferecer resistência física, mas disse que falou não a ele muitas vezes e que não queria ter relações sexuais. Felipe teria reagido dirigindo-se a ela aos gritos, dizendo “para de ser fresca, no fundo você quer, não é hora de se fazer de difícil” e, diante das seguidas negativas de Themis, insistido: “quer sim”. Neste momento, Felipe teria estuprado Themis.
Depois, ainda segundo a denúncia, Themis contou para a mãe que estava com um ferimento em suas partes íntimas e que sentia dor. "A mãe pediu à filha que se deitasse e olhou, e notou um corte de cerca de três dedos de comprimento na região genital da filha, profundo o suficiente para chegar até o músculo. A filha da declarante relatava muita dor e o sangramento estava muito intenso."
"A mãe precisou vestir a filha, pois a mesma estava sem condições físicas e emocionais de fazê-lo. Para conter o sangramento, que estava muito intenso, a declarante colocou uma fralda na filha. (…) Quando a filha da declarante foi chamada para ser atendida, chamou a atenção da declarante a reação da médica ao examinar TESTEMUNHA PROTEGIDA THEMIS. A médica expressou muito espanto, e ao se dirigir à declarante, a primeira pergunta que ela fez foi 'quem que fez isso?'. Naquele momento, a declarante e a filha estavam com medo e vergonha de relatar a verdade, então disseram que havia sido um namorado. A médica disse 'isso tá muito feio. Namorado seu, você tem certeza?'”, relata o documento.
A advogada descreveu o segundo caso como crime de tentativa de estupro, praticado durante os jogos universitários Interfau, em setembro de 2016, no município de Biritiba Mirim, contra a vítima testemunha protegida chamada Freya. Ela descreve que Prior tentou conter a vítima fisicamente por meio do uso da força, mas não conseguiu, e a vítima escapou.
O terceiro relato é de crime de estupro, praticado durante os jogos Interfau em setembro 2018, no município de Itapetininga, tendo como vítima a testemunha protegida chamada Ísis. Ela descreve que Prior se aproveitou de sua embriaguez para praticar atos libidinosos e conjunção carnal, com uso de violência física, mesmo diante do choro da vítima.
Ainda em março, as advogadas pediram à Justiça que a polícia abrisse investigação e que Prior fosse proibido de manter contato com as supostas vítimas, mas a juíza Patrícia Cruz negou. No despacho, ela afirma que os supostos crimes ocorreram em anos distintos, sem conexões entre eles, e em comarcas diferentes. A juíza também recomendou que as advogadas pedissem a abertura de investigação diretamente à polícia. A advogada disse que vai recorrer da decisão.
Maíra pede a instauração de procedimento investigatório para apurar a prática dos crimes "ora reportados, bem como de outros que sobrevierem da instrução; e em razão da natureza, multiplicidade e similaridade dos relatos, requer a remessa dos autos ao GEVID/MPSP", que possui a força-tarefa para apurar denúncias coletivas em casos de violência contra a mulher.
“A prioridade neste momento é garantir a integridade emocional, física, moral delas e garantir que possa correr sem interferências. A gente quer resguardar que queiram falar sobre o que sabem, porque todas tinham muito receio. Elas estão emocionalmente abaladas com toda essa repercussão. Elas sabem que têm um longo caminho pela frente até chegar uma eventual responsabilização, mas elas estão conscientes que é um caso consistente que tem bastante corroboração”, afirmou a advogada.
Segundo Maíra, no curso da apuração, "a gente teve conhecimento de mais uma vítima que inicialmente não se dispôs a falar, e é possível que existam outras.”
A advogada disse ainda que "é compreensível que possivelmente ele não enxergue nenhum desses episódios como atos de violência que ele tenha praticado. Esse caso não é sobre BBB, é sobre violência sexual em um ambiente universitário e sobre uma certa permissividade que é senso comum sobre o que é consentimento. Por causa disso, é importante entender esse caso não como um caso isolado e não como um caso que tenha a ver com BBB, mas com um problema muito maior sobre violência sexual em ambiente universitário."
G1


Covid-19: RN confirma mais 36 casos e sobe para 212 o número de infectados

O Rio Grande do Norte confirmou mais 36 casos de coronavírus de ontem para hoje (04). Com isso, o Rio Grande do Norte passou a ter 212 pessoas com o novo coronavírus - Covid-19. O Estado já registra 4 mortes pela doença.
O número foi divulgado neste sábado em uma coletiva de imprensa com a participação do Secretário de Saúde do RN, Cipriano Maia, na Escola de Governo.

Fonte: Portal Grande Ponto

USP cria respirador de baixo custo com produção rápida contra pandemia

Pesquisadores da Poli-USP criaram um ventilador pulmonar de baixo custo para enfrentar a pandemia de coronavírus.
Uma equipe de engenharia multidisciplinar desenvolveu um modelo livre de patente, de rápida produção e com insumos de fácil acesso no Brasil.
O tempo total de fabricação é inferior a duas horas e o custo estimado será de mil reais por ventilador, 15 vezes mais barato do que o mais em conta vendido no mercado, de acordo com a USP.
O projeto do INSPIRE foi coordenado pela direção da escola de engenharia, e envolve pesquisadores com ampla experiência em várias áreas.
“O motivo de se desenvolver este tipo de ventilador de pulmão emergencial parte de algumas premissas. Uma delas é que a cadeia de produção instalada deste tipo de equipamento talvez não consiga aumentar sua produção para a demanda da população brasileira nas próximas semanas. Seria necessário ter um equipamento que pudesse atender a população que ficaria desassistida neste caso”, disse o professor Raul González Lima, especialista em Engenharia Biomédica e um dos coordenadores do projeto.
Como funciona
O protótipo INSPIRE  é um ventilador pulmonar aberto de baixo custo, produzido totalmente com tecnologia nacional e que utiliza componentes amplamente disponíveis no mercado brasileiro.
O professor Raul González Lima explica que a intenção é suprir a necessidade deste tipo de equipamento no Brasil, na falta de ventiladores comerciais que levaram décadas para serem aprimorados.
Vantagens
Um dos motivos para a cadeia de produção instalada não conseguir se desenvolver tão rápido seria a dificuldade de importação desses componentes.
“Esses equipamentos dependem de muitos componentes importados, e nem todos estão em estoque na quantidade necessária. Os componentes podem não chegar a tempo para fazer essa produção”.
Outra questão considerada pelos cientistas é que devem faltar linhas de ar comprimido nos leitos de hospital, o que torna necessário o bombeamento de ar para o paciente.
“É uma demanda crítica e pontual… e essa tecnologia pode ser usada em áreas remotas, em que um hospital não esteja próximo”.
Pronto
O desenvolvimento de protótipo está pronto, embora continue em constante aprimoramento. O projeto passou para a fase de produção, em que será estabelecida a cadeia de suprimentos.
Ele deverá ser testado e produzido em laboratório.
A expectativa é que os respiradores da Poli-USP estejam disponíveis nos hospitais ainda este mês, quando está previsto o pico de casos da covid-19, principalmente no Estado de São Paulo.
O professor Raul defende que já existe uma indústria instalada que o Brasil precisa proteger e ampliar.
“Nós gostaríamos que a indústria nacional se desenvolvesse e exportasse as tecnologias que possuem para muitos países. Nosso objetivo é criar uma resposta rápida para uma crise provável”.
A Poli-USP é responsável pelo projeto, mas não pela fabricação, que deverá ser feita por empresas com autorização da ANVISA – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária.
www.sonoticiaboa




Dois pedreiros morrem após muro desabar sobre eles na cidade de Parelhas/ RN

Dois pedreiros morrem após muro desabar sobre eles no RN
Dois homens morreram enquanto trabalhavam em uma obra, na manhã desta quinta-feira (02) em Parelhas, cidade do Seridó do Rio Grande do Norte. Os pedreiros Jose Jean Carlos da Silva Santos, de 31 anos, e Lucas Azevedo Nascimento, de 21 anos, estavam construindo um prédio na cidade.
A dupla foi atingida por um muro de um edifício vizinho, que desabou no momento em que os dois trabalhavam. José Jean morreu na hora. Lucas Azevedo chegou a ser socorrido no hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Homem é preso ao tentar matar a própria mãe com uma espingarda na zona rural de Caraúbas, RN

Homem é preso ao tentar matar a própria mãe com uma espingarda na zona rural de Caraúbas, RN
Um homem foi preso ao tentar matar a própria mãe com uma espingarda na manhã deste sábado (04), por volta das 9h30, no Sítio Pontal, na zona rural de Caraúbas, no Oeste do Rio Grande do Norte.
De acordo com informações da Polícia Militar, o acusado identificado como Antônio Vieira de Melo, sempre que bebia ameaçava a mãe de morte e na manhã de hoje correu atrás de sua genitora com a espingarda na mão, aí a senhora entrou dentro do matagal e ele não a localizou.
Ainda segundo a Polícia Militar, uma guarnição do Grupo Tático Operacional (GTO) foi acionada e quando chegou no local confirmou a veracidade dos fatos. Antônio Vieira recebeu voz de prisão e com ele a polícia apreendeu uma espingarda e uma faca peixeira.
Antônio Vieira juntamente com o material apreendido foi conduzido a Delegacia de Polícia Civil de Caraúbas, que tem como delegado titular, bacharel Verilton Carlos Barbosa Pereira, onde será feito os procedimentos cabíveis.

Mulher grávida de oito meses é executada juntamente com o marido e o irmão no Lagoa Azul, zona norte de Natal

Mulher grávida de oito meses é executada juntamente com o marido e o irmão no Lagoa Azul
A chacina aconteceu na madrugada deste sábado (04); Uma criança de quatro anos testemunhou tudo e foi poupada pelos assassinos
Uma mulher grávida de oito meses identificada como Micarla Rodrigues Miranda da Silva, de 21 anos, o marido dela José Wilson Rodrigues, de 24 e o irmão Pedro Rafael Rodrigues, de 23 foram executados no interior de duas residências, na madrugada deste sábado (04), em uma granja, no loteamento Boa Esperança, no bairro Lagoa Azul, zona Norte de Natal.
As vítimas estavam dormindo quando homens encapuzados e fortemente armados invadiram o local e cometeram o crime. De acordo com o relatório da DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa), uma criança de quatro anos, filho do casal, presenciou tudo, mas foi poupada pelo autores do assassinato.
Segundo o delegado que esteve no a frente da apuração preliminar,que terá o nome preservado, os assassinos se dirigiram primeiramente até a casa de pedro que dormia sozinho, após executá-lo seguiram para a casa da irmã dele e lá mataram Micarla que esperava uma criança de oito meses e o marido dela, todos com tiros na cabeça características claras de execução.
Informações extraoficiais indicam que os matadores tinham Pedro como alvo, mas assassinaram o casal e o bebê como queima de arquivo, a criança de quatro anos que estava na casa foi poupada.
A Polícia Civil ainda afirmou que é cedo para apontar uma única linha de investigação e que nessas próximas horas toda e qualquer informação será importante para a elucidação do crime. Durante o prazo do inquérito que transcorrerá na DHPP pessoas serão ouvidas e evidências estudadas.
PORTALBO



HOJE 04/04/2020, OS VIVAS COM COROS DE PARABÉNS VAI PARA ESSA MULHER GUERREIRA KELLY MIRANDA

Hoje dia (04), de abril do corrente ano os vivas com coros de parabéns vai para essa mulher guerreira Kelly Miranda.
Que o nosso Senhor Deus venha derramar chuvas de bençãos sobre você e toda sua família e que essa data se repita por muitos anos com vida e saúde.

PARABÉNS KELLY MIRANDA

Sistema imunológico forte e bem protegido com vitaminas e minerais essenciais

Existem dois tipos de imunização no organismo que são os mecanismos que o corpo utiliza para se proteger. A Imunização passiva é aquela transferida principalmente da mãe para o bebê
O sistema imunológico é responsável por proteger o organismo de invasores e micro-organismos que podem ser prejudiciais à saúde e que causam diversos tipos de doenças. Dessa forma, ele é capaz de identificar esses agentes externos, conhecidos como patógenos, ativando as defesas do organismo e evitando infecções.

Existem dois tipos de imunização no organismo que são os mecanismos que o corpo utiliza para se proteger. A Imunização passiva é aquela transferida principalmente da mãe para o bebê. Este recebe todos os anticorpos produzidos pela mãe durante a gestação. Já a imunização ativa é adquirida de forma natural, por meio do contato com os patógenos, quando o próprio organismo consegue construir os anticorpos necessários para combater a infecção, ou por meio artificial, através de vacinas.

É importante que o organismo esteja saudável para que construa as defesas ideais contra as infecções mais rapidamente. A pratica de exercícios físicos e hábitos alimentares saudáveis, com a ingestão de vitaminas C, selênio e zinco, são fatores chave para fortalecer o sistema imunológico.

IMUNO BOOST é um suplemento alimentar rico nesses ingredientes, que foi desenvolvido pensando no cuidado de toda a família. Composto por Vitamina C e E que possuem alto valor antioxidante e auxiliam na proteção aos danos causados pelos radicais livres (agentes que enfraquecem o sistema imunológico facilitando a entrada de infecções).

A Vitamina D controla os níveis de concentração de cálcio e fósforo no organismo, permitindo que o intestino absorva melhor estes nutrientes e assim formando e protegendo os ossos. Já a Vitamina A protege a saúde dos olhos e ainda contribui para a manutenção das mucosas e fortalece o sistema imune.

IMUNO BOOST ainda possui minerais essenciais para o organismo. O Zinco, Selênio e o Cobre além de aumentarem a imunidade, protegem a saúde do coração e ajudam a prevenir doenças degenerativas.

Por fim, IMUNO BOOST conta com 400 miligramas de Glutamina em sua dosagem. A Glutamina é um aminoácido que produz energia para o organismo, servindo de combustível para o sistema imunológico e ainda colabora para a construção das proteínas, ajudando a melhorar a performance e o desempenho para quem pratica atividades físicas.

Estar atento ao cuidado com o sistema imunológico é de extrema importância durante essa época do ano em quem as doenças infecciosas têm maior incidência sobre a população. A Smart Life possui uma linha completa de suplementação para a saúde e cuidado de todo o organismo.

Conheça o IMUNO BOOT, o novo lançamento da marca Smart Life para o mercado brasileiro e ofereça proteção e cuidado para a saúde de toda a família.

Coronavírus pode causar 'genocídio' de povos indigenas, diz pesquisadora

Especialmente vulneráveis a doenças respiratórias, etnias podem ser dizimadas pela pandemia se não houver ações de contenção, diz médica sanitarista da Unifesp; há ainda o temor de que restrição de acesso de indígenas às cidades provoque falta de alimentos nas aldeias

À medida que o novo coronavírus se alastra pelo Brasil, crescem os temores de que comunidades indígenas sejam dizimadas pela covid-19, a doença causada pelo patógeno.
Doenças respiratórias já são a principal causa de morte entre as populações nativas brasileiras, o que torna a pandemia atual especialmente perigosa para esses grupos.
Há ainda preocupações quanto ao desabastecimento de muitas comunidades indígenas que compram alimentos em cidades e dependem de programas sociais como o Bolsa Família, mas estão sendo orientadas a evitar os deslocamentos para impedir o contágio.
Apesar da gravidade do cenário, associações indígenas e entidades que os apoiam afirmam que órgãos federais não têm adotado providências para proteger as comunidades - e que há falta de materiais básicos, como máscaras, para lidar com eventuais casos nas aldeias.
"Há um risco incrível de o vírus se alastrar pelas comunidades e provocar um genocídio", diz a médica sanitarista Sofia Mendonça, pesquisadora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Mendonça é a atual coordenadora do Projeto Xingu da Unifesp, pelo qual a universidade atua na promoção da saúde de povos indígenas da bacia do rio Xingu (no Mato Grosso e no Pará) há meio século.
Ela afirma que o novo coronavírus pode ter para povos indígenas brasileiros impacto comparável ao de grandes epidemias do passado, como as causadas pelo sarampo.
"Todos adoecem, e você perde todos os velhos, sua sabedoria e organização social. Fica um buraco nas aldeias", afirma.
Mendonça diz, por outro lado, que a memória de epidemias passadas pode estimular comunidades que vivem em territórios extensos a se dividir em grupos menores e buscar refúgio no interior da mata.
"Provavelmente alguns vão se munir de materiais que precisam para caçar e pescar e vão fazer acampamentos, esperando lá até a poeira baixar", afirma.
Mendonça diz que métodos usados em áreas urbanas para reduzir o contágio - como higienizar as mãos com álcool gel - são impráticaveis em muitas aldeias. Por isso ela defende concentrar os esforços em impedir que o vírus chegue às comunidades e isolar eventuais infectados.
Mendonça, assim como várias organizações indígenas brasileiras, tem difundido mensagens no WhatsApp e por rádio orientando as comunidades a suspender as idas às cidades e impedir a entrada de visitantes.
Nas últimas semanas, vários grupos cancelaram reuniões e rituais abertos a turistas. O Acampamento Terra Livre - principal evento do movimento indígena brasileiro, que ocorre em Brasília a cada mês de abril - foi suspenso.
Mesmo assim, Mendonça diz que há chances consideráveis de que o vírus chegue às aldeias - e que será preciso isolar os doentes antes que eles infectem os parentes.
Segundo ela, os modos de vida de vários povos indígenas - que incluem compartilhar utensílios como cuias e morar em habitações com muitas pessoas - tendem a ampliar o poder de contágio de doenças infecciosas.
Em 2018, segundo o Ministério da Saúde, doenças infecciosas e parasitárias - tipos de enfermidades considerados evitáveis - foram responsáveis por 7,2% das mortes ocorridas entre indígenas, ante uma média nacional de 4,5%.
Entre crianças indígenas com menos de um ano, doenças respiratórias foram responsáveis por 22,6% das mortes registradas em 2019, índice só inferior ao de mortes causadas por problemas no período perinatal (24,5%).

Reclusão

Mendonça tem orientado as comunidades a adotar práticas de reclusão - normalmente usadas em ritos de passagem - para isolar as pessoas com sintomas da doença.
Nesses rituais, diz a médica, várias comunidades costumam usar barreiras físicas, como paredes de palha, para que o recluso não tenha contato com os demais membros do grupo.
Mendonça afirma que também é preciso agir para impedir que o vírus chegue a grupos que vivem em isolamento voluntário. Segundo a Funai (Fundação Nacional do Índio), há 107 registros de grupos indígenas não contatados na Amazônia brasileira.
Muitos territórios habitados por esses grupos são alvo de madeireiros, garimpeiros, caçadores e missionários, que podem levar o vírus até as comunidades.
Mendonça diz que a Funai deveria reativar bases encarregadas de proteger essas áreas que foram fechadas nos últimos anos em meio à redução do orçamento do órgão.
Ela defende ainda que indígenas que estejam nas cidades e apresentem sintomas associados à covid-19 sejam submetidos a exames. Se não houver confirmação da doença, deveriam voltar rapidamente à aldeia, reduzindo as chances de contágio na cidade.
Por ora, no entanto, a Secretaria Especial de Saúde Indígena não dispõe de testes para detectar a covid-19, segundo profissionais de saúde entrevistados pela BBC News Brasil na condição de anonimato.
Uma servidora que atua em Mato Grosso diz que também faltam máscaras e outros itens básicos proteção para lidar com eventuais casos nas aldeias.
Ela afirma que procedimentos médicos não urgentes entre indígenas foram suspensos, e que só pacientes em estado grave estão sendo enviados a hospitais, para reduzir os riscos de contágio. Os demais casos estão sendo tratados nas aldeias.
Diante da falta de recursos e ações governamentais para enfrentar a pandemia, ela afirma que servidores estão se organizando por conta própria, arrecadando entre conhecidos itens de limpeza e alimentos para enviar às comunidades.

Casos suspeitos

Segundo a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), vinculada ao Ministério da Saúde, não há infecções confirmadas do novo coronavírus entre indígenas.
Em São Gabriel da Cachoeira, município amazonense na fronteira do Brasil com a Colômbia e a Venezuela onde a maioria da população é indígena, órgãos sanitários aguardam o resultado de um exame em uma paciente não indígena que chegou de Manaus recentemente.
Até esta terça-feira (24/03), a capital amazonense tinha 45 casos confirmados da doença.
Não há em São Gabriel Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) nem respiradores mecânicos, o que obrigaria o deslocamento de pacientes em estado grave até Manaus, a mil quilômetros de distância por via fluvial.
Marivelton Baré, diretor presidente da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), baseada em São Gabriel da Cachoeira, diz que as comunidades da região estão em pânico.
Ele diz que, na semana passada, a prefeitura se comprometeu a proibir a chegada de embarcações, principal meio de acesso à cidade, mas que, mesmo assim, um barco com cerca de cem passageiros aportou na última segunda-feira (23/03).
Baré afirma ainda que, embora o governo federal tenha ordenado o fechamento das fronteiras na semana passada, continua a haver trânsito de venezuelanos e colombianos na região.
Segundo Baré, há especial preocupação com indígenas das etnias hupdah e yuhupdeh que passam vários meses do ano acampados à beira do rio Negro, na área urbana de São Gabriel da Cachoeira.
O fluxo de membros dessas etnias aumentou nos últimos anos à medida que foram cadastrados pelo programa Bolsa Família e passaram a se deslocar até a cidade para receber o benefício.
Oriundas de comunidades que ficam a alguns dias de barco da sede de São Gabriel, várias dessas famílias têm dificuldades para comprar o combustível necessário para a viagem de volta e acabam permanecendo longos períodos na cidade. Com isso, deixaram de cultivar suas roças e passaram a depender do alimento comprado nas cidades.

Prefeito determina que feiras livres aconteçam em horário reduzido e com um feirante por banca em Natal

Bancas também devem ter um limite mínimo de distância e oferecer álcool em gel 70% aos clientes. Medida é de prevenção à propagação do novo coronavírus.

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, assinou um decreto com novas regras para as feiras livres neste período de enfrentamento ao coronavírus na cidade. A partir deste sábado (4), as feiras vão funcionar em horário reduzido - das 5h às 13h - e as bancas só poderão ter um feirante.
O decreto vai ser publicado na edição extra desta sexta-feira (3) do Diário Oficial do Município.
O decreto determina ainda que cada família só poderá instalar duas bancas e o espaço mínimo entre cada conjunto de bancas deve ser de dois metros. Os feirantes ficam obrigados também a realizar a limpeza e a higienização das bancas, utensílios e dos produtos, assim como disponibilizar aos clientes álcool em gel 70% para higienização.
Segundo a prefeitura, fica proibida ainda a participação de feirantes gestantes e/ou lactantes, dos maiores de 60 anos e das pessoas com comorbidades ou doenças crônicas.
Equipes da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) e da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo de Natal (Semurb) vão fiscalizar a montagem, realização e desmontagem das feiras. A Urbana fica responsável pela limpeza dos locais. A Guarda Municipal deve apoiar os órgãos no cumprimento das medidas.

    Cabeça de homem é encontrada dentro de mochila na Zona Norte de Natal

    Mochila estava próxima à comunidade Beira-Rio. Vítima ainda não foi identificada.

    A cabeça de um homem foi encontrada dentro de uma mochila abandonada em Iagapó, na Zona Norte de Natal, na noite desta sexta (3).
    A mochila foi jogada por homens que estavam dentro de um carro próximo à cabeceira da ponte de Igapó, na comunidade Beira-Rio. Os policiais militares foram acionados por volta das 20h30 e chamaram a perícia técnica. O corpo do homem não foi localizado.
    Segundo a Polícia Militar, o crime tem relação com o tráfico de drogas na região.
    O homem decapitado ainda não foi identificado. O caso será investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).


    Cientistas de Israel estão produzindo uma vacina contra covid-19 e garantem que ela já está quase pronta: nos ‘estágios finais

    Cientistas de Israel estão produzindo uma vacina contra covid-19 e garantem que ela já está quase pronta: nos ‘estágios finais’⁣
    ⁣⁣
    ⁣Foi o que garantiu em entrevista ao jornal The Jerusalem Post, o chefe da equipe de biotecnologia do Instituto de Pesquisas da Galileia (MIGAL, na sigla original), Chen Katz.⁣
    ⁣⁣
    ⁣“Nós já estamos nos estágios finais e em poucos dias teremos as proteínas – os componentes ativos da vacina”, afirmou.⁣
    ⁣⁣
    ⁣Ele disse que pretende iniciar os testes em humanos em 1° de junho.⁣
    ⁣⁣
    ⁣A vacina⁣
    ⁣⁣
    ⁣Chen Katz revelou que equipe esta há quatro anos desenvolvendo uma vacina para o vírus da Bronquite Infecciosa das Galinhas (BIG), comum nessa espécie de aves e também encontrada em faisões.⁣
    ⁣⁣
    ⁣Ele contou que a substância oral da droga já provou induzir altos níveis de anticorpos específicos contra a BIG.⁣
    ⁣⁣
    ⁣A vacina que está sendo desenvolvida para o novo coronavírus seria uma adaptação dessa primeira pesquisa.⁣
    ⁣⁣
    ⁣A matéria completa está no SoNoticiaBoa.com.br ⁣

    Imagens forte: A cidade de Macaíba, localizada na região Metropolitana de Natal, contabilizou mais uma morte violenta na noite desta sexta-feira (03)

    A cidade de Macaíba, localizada na região Metropolitana de Natal, contabilizou mais uma morte violenta na noite desta sexta-feira (03) segundo informações a vítima que atendia pelo nome de Eduardo, foi alvejado com alguns disparos de arma de fogo próximo a comunidade conhecida por "Vila do Cassete".
    De acordo com relatos de moradores da localidade, o jovem estava residindo na região recentemente e ouviram os tiros e em seguida a vítima já estendida sobre o solo já sem vida.
    A Policia Militar do 11° Batalhão foi acionada e isola o local até a chegada dos peritos do ITEP para a remoção do corpo.





    Sindicato dos Médicos do RN entra com liminar para suspender licitação do Hospital de Campanha do Estado na Arena das Dunas

    Sindicato dos Médicos do RN entra com liminar para suspender licitação do Hospital de Campanha do Estado na Arena das Dunas
    Nesta sexta-feira (03) o Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed/RN) entra com uma liminar para suspender a licitação aberta pelo Governo do Estado para montagem de um Hospital de Campanha na Arena das Dunas.
    A licitação custará R$ 37,1 milhões aos cofres públicos e prevê o contrato com uma organização social para cuidar do equipamento que vai disponibilizar 180 novos leitos pelo período de seis meses como suporte aos pacientes em tratamento do Coronavírus. O processo já é alvo também de investigação por parte do Ministério Público Estadual que analisa a legalidade do ato.
    .
    “Consideramos totalmente equivocada essa ação do Governo. De um lado temos mais de 200 leitos novos a serem abertos em dois hospitais públicos, o da Polícia Militar e o Deoclécio Marques de Parnamirim, que ficarão para a população após a pandemia. Temos o Hospital Rui Pereira em desativação já com dois andares ociosos e o Regional de Canguaretama ainda fechado por falta de condições sanitárias. Do outro o executivo propõe um hospital improvisado por seis meses ao custo de quase R$ 40 milhões. É um absurdo e demonstra a total falta de uma coordenação para abordar esse momento extremamente delicado”, contesta Geraldo Ferreira, presidente do Sinmed/RN.
    .
    Segundo levantamento do sindicato, o Hospital da PM está com 150 leitos novos já prontos, sendo 130 de enfermaria e 20 de UTI, faltando apenas mão de obra para que entrem em funcionamento. O Hospital Deoclécio Marques também tem 80 leitos novos de enfermaria praticamente prontos para serem utilizados, precisando só das camas e acabamentos. Sem contar nos 200 disponíveis nos hospitais privados do Estado que já trabalham com o SUS.
    .
    “Além disso soma-se a decisão de tirar os queimados do setor onde eram tratados no Hospital Monsenhor Waldredo Gurgel para colocá-los em um local inadequado. Vale salientar que é o único setor de queimados do Estado. E por fim o fechamento da porta aberta do Hospital João Machado jogando os pacientes da saúde mental para a rede básica. É crime em cima de crime na saúde pública do Rio Grande do Norte”, finaliza o presidente do Sinmed/RN.
    .
    Fonte: Sinmed RN

    A SOMA DOS FILIADOS DO (MDB), DE GUAMARÉ/RN, SÓ VEM AUMENTANDO NOS ÚLTIMOS DIAS

    O prefeito de Guamaré/RN, Adriano Diógenes  juntamente com o lider politico e ex prefeito  Hélio Willamy  todos do (MDB), vem formando uma seleção com as filiações da Vereadora Lisete Negreiros e do Vereador Miranda Junior juntamente com os demais vereadores da situação para a disputa do pleito municipal do ano em curso.
    Como é do conhecimento de todos (as), Hélio Williamy é um grande e respeitado articulador politico, que juntamento com o Prefeito Adriano Diógenes sempre trabalham pensando no bem da população Guamareense e esse ano não vai ser diferente e principalmente com esse grande grupo politico< que vem se fortalecendo a cada dia mais e Hoje estamos só aguardando as definições da chapa majoritária para sabermos quem vai ser o candidato a prefeito para disputar as eleições municipais de Guamaré.

    AGUARDE!